Vitafibra: A terceira geração de fibras

Há décadas que nutricionistas do mundo todo estão usando fibras na nutrição animal. Essas fibras dietéticas podem aumentar o tempo de passagem no estômago, aumentando ou diminuindo a sensação de saciedade dos animais, alterando a viscosidade dos alimentos, além de outras aplicações. Nos anos iniciais do século 21, a indústria começou a se concentrar mais nos aspectos probióticos de certas combinações de fibras e açúcares. Produtos beta-glucanos, MOS, FOS, XOS e, mais recentemente, GOS podem apresentar bons efeitos de modular a microbiota através do estímulo positivo do crescimento de alguns grupos bacterianos favoráveis que aumentam a saúde intestinal e, dessa forma, aumentam a saúde animal de forma indireta.

A Agrifirm deu um passo além e desenvolveu a terceira geração de frações de fibras funcionais (Vitafibra), que afetam bactérias patogênicas (aglutinação) e toxinas (bloqueadores de receptores) de modo direto.

As moléculas de fibra são extraídas de fontes naturais e selecionadas com base nas suas habilidades específicas de aglutinar patógenos. A fibra funcional, que é comercializada sob o conceito Alvo Zero de desmame (www.aim-4-zero.com), é uma fibra inerte, mas altamente solúvel.

Pela aglutinação dos patógenos (como a E. Coli), é possível lavá-los do intestino, evitando que os animais tenham infeccções. Essa aglutinação foi claramente demonstrada em um modelo in vitro. Por filtrar uma mistura de E.coli e Vitafibra usando um filtro com poros de tamanho suficiente para deixar uma única bactéria de E. Coli passar, vimos uma diminuição de unidades 2 LOG de E.Coli na filtragem (Figura 1). Isso indica que a maior parte da E.Coli não passou pelo filtro porque foi aglutinada pelo Vitafibra.

Além de aglutinar patógenos, o Vitafibra consegue bloquear endotoxinas, por exemplo. As endotoxinas, como parte da membrana celular bacteriana da E. Coli, resultam em inflamação mesmo depois da destruição da bactéria. Elas se ligam a receptores celulares TLR e ativam uma sequência de mecanismos que resultam na produção de citocinas (IL-1, IL-6, TNF). Essas citocinas causam a inflamação local do intestino, o que resulta na diarreia pós-desmame. As frações de fibra específicas do Vitafibra protegem os receptores TLR, bloqueando essa sequência intracelular. Isso foi demonstrado na universidade de Groningen com a linha celular geneticamente modificada HEK-BlueTM-4, que consegue trocar a cor do meio quando os receptores e a sequência são ativados. Tratar as células com endotoxinas resultou em um aumento de 14 vezes da intensidade da cor em comparação com o controle negativo (Figura 2). Na presença do Vitafibra, porém, a intensidade da cor se manteve nos níveis normais, indicando que o mecanismo de sequência intracelular não foi ativado.

Trazendo isso para uma situação in vivo, isso significa que os leitões pós-desmame, sempre sob uma alta pressão de endotoxinas, estarão menos expostos a inflamação local e serão menos suscetíveis a diarreia.

Conclusão

Junto com as fibras dietéticas e probióticas, agora também é possível usar frações de fibras funcionais, as quais exercem um impacto direto sobre patógenos como a E. Coli. O Vitazero e a Vitafibra disponibilizam essa nova geração de fibras à indústria e já estão se mostrando eficazes com alimentações livre de zinco em diferentes países da Europa.

Especialista Agrimprove

Kobe Lannoo
Category manager pigs

Mantenha-se atualizado

Você gostaria de ser informado sobre nossos últimos desenvolvimentos? Cadastre-se aqui e mantenha-se atualizado.

Estou interessado(Required)

Agrimprove can store and use my personal information to respond to my request, as stipulated in the privacy policy.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.