Proteja leitões desmamados da Streptococcus suis

As infecções por S. suis são um problema mundial que surge por volta do desmame. Os sintomas clínicos que costumam ser observados no campo são meningite, artrite e septicemia. Essa doença pode resultar em altos índices de mortalidade e no aumento do uso de antibióticos (em especial a amoxicilina). Assim, a S. suis é responsável por grandes prejuízos financeiros da indústria suína atual (Haas e Grenier, 2017). A erradicação da S. suis é difícil, visto que existem vários tipos diferentes de sorotipos e falta de vacinas eficazes.

Neste contexto, a Agrimprove desenvolveu o C-Vita, um blend específico de ácidos graxos de cadeia média, que fornecem um amplo suporte contra diversos patógenos e um auxílio extra específico contra a S. suis.

Demonstração da ação antibacteriana in vitro

Para provar a atividade antibacteriana do C-Vita, o Laboratório de Inovação da Agrifirm realizou um teste interno desenvolvido in vitro.

Nesse teste, o C-Vita foi acrescentado a 20% de uma solução de alimentação de leitões. O pH foi controlado em níveis diferentes com ácido clorídrico 1N. Depois, a S. suis foi acrescentada a 106-107 CFU/g de alimento e incubada sob agitação durante 3h a 37°C. A contagem de bactérias foi realizada no fim da incubação e expressa em comparação com um controle negativo.

Os resultados apresentados na figura demonstram que com uma inclusão maior de C-Vita, foi vista uma inibição de crescimento maior de S. suis. Como esperado, o efeito de se adicionar C-Vita é maior com níveis menores de pH, o que significa que a atividade dos ácidos graxos livres será muito mais forte em ambientes ácidos, como o estômago, matando os patógenos que chegarem, como a S. suis, sem prejudicar a boa microflora do intestino, onde o pH é mais alto.

Melhores desempenhos em leitões desmamados com porcas alimentadas com C-Vita

Os leitões nascem com um trato gastrointestinal microbiológico estéril. Entretanto, logo depois do parto, seu intestino é colonizado por micro-organismos que são parecidos com a microbiota da porca. Assim, a porca exerce um papel vital na colonização inicial do intestino. Zentek et al. (2011) mostraram que por oferecer AGCMs, a microbiota da porca e/ou dos leitões pode ser alterado, o que resulta em uma saúde melhor e em crescimento de desempenho dos leitões depois do desmame.

Através da seleção genética, o número de leitões que nasceram vivos por ninhada aumentou. Entretanto, o aumento do tamanho da ninhada pode prejudicar a sobrevivência dos leitões. Com o aumento do tamanho da ninhada, a mortalidade pré-desmame também aumentou. Já foi descrito que a ingestão adequada de colostro (>200 g por leitão durante as primeiras 24h após o nascimento) é fundamental para a sobrevivência neonatal.

Estudos que investigam a influência da nutrição da porca sobre a produção de colostro são raros. Em vários testes de campo ao redor do mundo, mostramos que, após a inclusão do C-Vita, conseguimos reduzir a mortalidade dos leitões e do uso de antibióticos. Nesse contexto, destacamos dois testes recentes em granjas comerciais nas quais observamos que a alimentação com C-Vita (1kg/T) durante o fim da gestação e durante a amamentação aumentou a imunidade dos leitões. 

O primeiro teste foi realizado em uma granja holandesa com histórico de problemas com S. suis, resultando no aumento de mortalidade, artrite clínica e em aumento do uso de amoxicilina. No total, 1600 porcas TN-70 receberam o suplemento de 1kg/T de C-Vita na gestação e amamentação. Nessa granja, os níveis imunócritos foram monitorados, além da ocorrência de artrite e do uso de amoxicilina.

Os níveis imunócritos, que têm uma grande correlação com os índices de sobrevivência pré-desmame (Vallet et al., 2012), aumentaram significativamente (+11,4%, p<0,05) com a administração do C-Vita, o que pode ser o resultado de uma produção maior e/ou de uma qualidade melhor de colostro. Além disso, a mortalidade pré-desmame (-52%), a prevalência de artrite (-90%) e o tratamento com antibióticos (-86%) diminuíram bastante.

O segundo teste foi realizado em uma granja da Bélgica, na qual as porcas foram alimentadas com C-Vita (1kg/T) durante o fim da gestação e durante a amamentação. Depois de dois meses com o suplemento de C-Vita, os níveis imunócritos dos leitões aumentaram em 23% (P,0,05). Já sabemos que existe uma forte correlação entre os níveis imunócritos no soro de leitões neonatais e o nível de imunoglobulinas ingeridas. Quando os leitões têm acesso suficiente a colostro de boa qualidade, seu nível imunócrito deve estar acima de 11%. Nesse teste, observamos uma clara redução na quantidade de leitões (-27%) que não atingiram o nível de 11% após receberem o suplemento do C-Vita.

Assuma o controle da S. suis antes mesmo do nascimento dos leitões

Não é uma tarefa fácil lidar com doenças complexas como a S. suis no campo. Em conjunto com um manejo adequado e medidas de controle veterinário, o C-Vita pode oferecer o suporte nutricional às fazendas que precisam lidar com a pressão de doenças altamente infecciosas. Para obter a mais alta eficácia, aconselhamos que o C-Vita seja administrado na dieta das porcas e dos leitões desmamados.

Written by

Maartje De Vos
Product Developer Pigs
+32 4 74 62 93 60